Tempo
|

Sem-abrigo sepultado no Vaticano entre príncipes e bispos

25 fev, 2015

O Cemitério Teutónico é utilizado para sepultar funcionários do Vaticano de língua germânica e os corpos de membros da Guarda Suíça falecidos ao serviço da Santa Sé.

Willy Herteller, que era visto frequentemente a pedir esmola nos arredores da Basílica de São Pedro, vai tornar-se o primeiro sem-abrigo a ser sepultado no Cemitério Teutónico, no Vaticano.

O homem, de 80 anos, era conhecido na Santa Sé e amigo de alguns altos funcionários da Cúria. Um deles, Monsenhor Amerigo Ciani, estranhou a sua ausência nos últimos dias e informou-se, descobrindo que Herteller tinha morrido.

Terá sido Ciani quem solicitou que fosse sepultado num cemitério do Vaticano. O funeral decorreu no Cemitério Teutónico que, actualmente, é dedicado exclusivamente a funcionários da Santa Sé de língua germânica, o que é o caso de Herteller, que era flamengo. 

Vai ser sepultado na companhia de príncipes e bispos alemães, bem como os funcionários da Guarda Suíça que morreram em defesa da Santa Sé e dos Papas.
 
[Notícia corrigida no dia 26 de Fevereiro, às 15h40]