Tempo
|

D. Manuel Clemente

"Papa é sinal muito belo de como Cristo-pastor continua presente"

16 fev, 2015 • Aura Miguel, em Roma

Na Igreja de Santo António dos Portugueses, o Cardeal Patriarca defendeu a importância de a Igreja estar presente, "junto das pessoas, da sua vida, das suas dificuldades, das suas aspirações".

"Papa é sinal muito belo de como Cristo-pastor continua presente"
"Papa é sinal muito belo de como Cristo-pastor continua presente"
Na primeira missa a que presidiu como Cardeal, na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma, D. Manuel Clemente sublinhou que a Igreja deve estar "junto das pessoas, das suas dificuldades". "Há coisas que não sabemos muito bem como vamos resolver, mas temos de resolver", disse, dando como exemplo de proximidade os sinais transmitidos pelo Papa Francisco.
D. Manuel Clemente afirmou, esta segunda-feira, que o Papa é exemplo de proximidade da Igreja com as pessoas. A ideia foi defendida pelo novo cardeal da Igreja Católica na missa que celebrou na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma.

"Temos no rosto, na figura, nas palavras do Papa Francisco, um sinal muito belo, muito convincente de como Cristo-pastor continua presente na sua Igreja", disse Clemente, perante centenas de portugueses.

"Na vida da Igreja e do nosso país, muito em particular, as pessoas precisam sobretudo de presença. Há coisas que não sabemos muito bem como vamos resolver, mas temos de resolver", acrescentou.

O Cardeal Patriarca defendeu a importância de a Igreja estar presente, "junto das pessoas, da sua vida, das suas dificuldades, das suas aspirações". Com "tantos problemas para resolver", a solução tem que passar pela "proximidade de quem sente os outros e de quem sente os outros como seus", referiu.

No final da missa, D. Manuel Clemente foi saudado com aplausos e expressões de afecto de muitos dos presentes.

A primeira celebração em Portugal do novo cardeal será na quarta-feira na Sé de Lisboa, com a missa de Quarta-feira de Cinzas (19h00).

No domingo, D. Manuel Clemente vai proferir a primeira catequese quaresmal no Mosteiro dos Jerónimos, às 16h30, a que se segue uma sessão de apresentação de cumprimentos, aberta a todos.