Tempo
|

Papa anuncia visita a Sarajevo para Junho

01 fev, 2015 • Filipe d’Avillez

Esta será a quarta visita do Papa a um país europeu, fora de Itália, e a terceira a um país europeu de maioria muçulmana. Francisco associou-se também ao “Dia da Vida” em Itália.

Papa anuncia visita a Sarajevo para Junho
Papa anuncia visita a Sarajevo para Junho
O Papa Francisco anunciou este domingo, depois da oração do Angelus, que vai visitar a Bósnia Herzegovina no próximo mês de Junho. Segundo o Papa, esta visita terá como objectivo apoiar a comunidade católica local e fomentar a fraternidade. No final, após as saudações aos grupos de peregrinos presentes, Francisco recordou que este domingo é o Dia da Vida, em Itália e manifestou o seu apreço por "todos os que defendem a vida humana".

O Papa Francisco anunciou este domingo, depois da oração do Angelus, que vai visitar a Bósnia Herzegovina no próximo mês de Junho.

Segundo o Papa, esta visita terá como objectivo apoiar a comunidade católica local e fomentar a fraternidade.

“Quero anunciar que no sábado, dia 6 de Junho, se Deus quiser, irei a Sarajevo, capital da Bósnia Herzegovina”, disse o Papa.

“Peço-vos que rezem para que a minha visita àquela população seja de encorajamento para os fiéis católicos e sirva de fermento de bem, contribuindo para a consolidação da fraternidade e da paz, do diálogo inter-religioso e da amizade”

Esta será a quarta visita do Papa a um país europeu, fora de Itália e, curiosamente, a terceira a um país de maioria muçulmana. Em 2014 o Papa visitou a Albânia e a Turquia. A única visita a uma região de tradicionalmente cristã, fora de Itália, foi a Estrasburgo, onde Francisco discursou diante das instituições europeias.

No final, após as saudações aos grupos de peregrinos presentes, Francisco recordou que este domingo é o Dia da Vida, em Itália: “Renovo o meu apreço pelas associações, movimentos e todos os que defendem a vida humana. Uno-me aos bispos italianos que pedem uma “renovação do reconhecimento da pessoa humana e um cuidado adequado pela vida, desde a concepção à morte natural. Quando nos abrimos para a vida, experimentamos a força revolucionária do amor e da ternura, inaugurando um novo humanismo, o humanismo da solidariedade.