Tempo
|

Sri Lanka e Goa preparam-se para canonização de padre José Vaz

13 jan, 2015 • Aura Miguel

Para dar apoio aos católicos, que vivam escondidos com medo dos holandeses, o padre José Vaz aprendeu tâmil, conseguindo visitar as várias comunidades, apesar dos riscos que corria.  

Sri Lanka e Goa preparam-se para canonização de padre José Vaz
O Papa Francisco canoniza esta quarta-feira o sacerdote goês José Vaz.

A história do padre José Vaz com o Sri Lanka tem as suas raízes no século XVI, com a evangelização da ilha pelos portugueses. Nessa época um rei local, através de um pergaminho que ainda existe, autorizava a população a converter-se ao Cristianismo.

Só que, a partir de 1660, já no século XVII, quando os protestantes holandeses ocuparam a zona de Cochim e a ilha de Ceilão, desencadeou-se uma feroz perseguição contra a Igreja e tudo o que se relacionava com o Portugal católico.

Em 1687, o goês José Vaz, missionário religioso, ofereceu-se corajosamente para entrar no Ceilão, clandestinamente a bordo de um navio de carga e disfarçado de operário.

Para dar apoio aos católicos, que vivam escondidos com medo dos holandeses, o padre José Vaz aprendeu tâmil, conseguindo visitar as várias comunidades, apesar dos riscos que corria.

Chegou a estar preso, acusado de ser um espião ao serviço do reino de Portugal, mas a sua fama de santidade e sabedoria eram tais que um outro rei da zona não ocupada pelos holandeses, quis conhecê-lo e permitiu o exercício da sua actividade missionária.

O Papa Francisco, quando chegou agora a Colombo, sublinhou o seu "exemplo de caridade cristã e de respeito por todos, sem distinção de etnia ou religião", exemplo que "continua a servir-nos de inspiração e lição ainda hoje".

A missa será celebrada junto ao mar, na mesma zona onde João Paulo II o beatificou.

Quem também celebra o primeiro santo desta ilha são os seus conterrâneos, prevendo-se mesmo que os sinos de Goa toquem no momento em que Francisco canonizar José Vaz. A Igreja goesa faz-se representar pelo próprio Patriarca de Goa, que veio de Panjim acompanhado por uma peregrinação de goeses para participarem na canonização deste grande apóstolo.