Tempo
|

Imã radical condenado a prisão perpétua nos EUA

09 jan, 2015

Nascido no Egipto, Abu Hamza era o imã da mesquita de Finsbury Park, em Inglaterra, onde pregava uma forma radical do Islão, defendendo o terrorismo e o ataque a alvos ocidentais.

Imã radical condenado a prisão perpétua nos EUA
O imã radical Abu Hamza al-Masri foi condenado a prisão perpétua por um tribunal americano.

Al-Masri, de 56 anos, era acusado de ter fornecido material a terroristas iemenitas que raptaram turistas ocidentais em 1998 e de ter dado apoio material a movimentos e pessoas ligados ao terrorismo islâmico, incluindo o envio de um associado ao Afeganistão para ajudar os militantes a combater as forças americanas.

O imã é conhecido pelo seu discurso radical, mas também pelo seu aspecto físico: falta-lhe um olho e uma mão, que tinha por hábito substituir por um gancho.

Nascido no Egipto, Abu Hamza era o imã da mesquita de Finsbury Park, em Inglaterra, onde pregava uma forma radical do Islão, defendendo o terrorismo e o ataque a alvos ocidentais.

A pedido dos EUA foi detido no Reino Unido e o seu processo de extradição demorou muito tempo, tendo sido aprovado apenas na condição de que não viesse a ser condenado à morte.