Tempo
|

Quais as responsabilidades de um cardeal no Vaticano?

04 jan, 2015

Entre os novos cardeais nomeados pelo Papa, 15 vão integrar o conclave que escolherá o sucessor de Francisco.

Quais as responsabilidades de um cardeal no Vaticano?
D. Manuel Clemente integra um grupo de 20 novos cardeais nomeados pelo Papa durante a oração do Angelus deste domingo. Destes, 15 vão integrar o conclave que escolherá o sucessor de Francisco, mas não só.

Os cardeais seguem-se imediatamente ao Papa na hierarquia da Igreja Católica. Qualquer cardeal é um conselheiro que pode ser consultado em determinados assuntos quando o Papa assim desejar, pessoal ou colegialmente.

Os cardeais eleitores, com menos de 80 anos, podem ainda participar no conclave que elege o novo Papa em caso de morte ou abdicação.

“A atribuição que, por excelência, está atribuída ao Colégio Cardinalício desde a Idade Média é a de eleger o Pontífice”, destaca o Padre Adélio Abreu, director da Faculdade de Teologia do Porto, em declarações à Renascença.

“Os cardeais não colaboram exclusivamente através desse modo mais extraordinário, mas também pela participação das diferentes congregações, tudo isso, por serem capazes, por serem auscultados no quadro daquilo que pode ser mais importante para a vida pastoral da Igreja”.

Os membros do Colégio Cardinalício têm ainda diferentes áreas de responsabilidade, designadas congregações. Aqui, existem cardeais encarregues de supervisionar o trabalho dos bispos de todo o mundo, de assegurar a evangelização ou a educação Católica para os seminários e institutos de estudos, entre outros.

Enquanto um cardeal é responsável pela representação do Vaticano na comunidade internacional, assegurada pelo Cardeal Secretário de Estado, outro preside várias comissões e conselhos, assim como os três altos tribunais da Igreja Católica, que representam a lei canónica e a sua interpretação, por exemplo.

Os cardeais que não pertencem à Cúria Romana, o grupo mais próximo do Papa, podem também ser responsáveis por uma ou mais dioceses.