Tempo
|

Ana Stilwell grava versão de Lennon em solidariedade com refugiados do Iraque

25 dez, 2014 • Filipe d'Avillez

A cantora admite que foi uma entrevista no site da Renascença que a levou a tomar a fazê-lo. "Pelo menos mostra que há quem reze por eles e se preocupa".

Ana Stilwell grava versão de Lennon em solidariedade com refugiados do Iraque
A cantora Ana Stilwell gravou uma música de solidariedade para com os refugiados do Iraque e da Síria, sobretudo os cristãos e membros de outras minorias étnicas e religiosas que têm sido mais duramente perseguidos pelo Estado Islâmico.

Foi depois de ler uma entrevista à freira libanesa Hanan Youssef, dada à Renascença, que Ana Stilwell decidiu gravar uma versão do “Merry Xmas (War is Over)” de John Lennon. Criticando o silêncio da Europa, Youssef afirmou que está a acontecer um genocídio contra os cristãos no mundo árabe.



"Quando estava a ouvir as músicas típicas da época a única coisa que me passava pela cabeça era os refugiados todos que estão a fugir do Iraque e da Síria e que eles não iam passar o Natal a casa", explica.

A canção original de Lennon foi gravada em 1971 como protesto contra a guerra no Vietname e é precisamente nesse sentido que Ana Stilwell o canta agora, mais de 40 anos depois. "Gosto imenso da música e ligo muito à letra, que diz 'War is over, if you want it' [A guerra acabou, se assim quiseres]. Essa é que é a chave".

Um coro via Facebook
Para tentar fazer chegar mais longe esta mensagem de apoio aos refugiados, a cantora lançou uma iniciativa, convidando os seus fãs a gravar uma versão do refrão da música. Os 20 melhores serão depois convidados para regravar o tema, desta vez com o refrão cantado em coro.

Colocado há dias na sua página oficial do Facebook, a iniciativa já chamou a atenção de alguns grupos de activistas que trabalham directamente com os refugiados. Nuri Kino, um cristão de origem iraquiana que agora vive na Suécia, onde existe uma grande comunidade, promete fazer chegar a música aos próprios refugiados e classifica a cantora de exemplo a seguir.

"Se calhar, ouvirem uma música nesta altura pode aparentemente não significar muito, mas eu acho que pelo menos significa que há algumas pessoas que rezam por eles, a pensar neles, preocupados com este assunto", considera Ana Stilwell.

O avanço do Estado Islâmico levou à fuga de cerca de dois milhões de pessoas na região à volta de Mossul. A esmagadora maioria encontrou refúgio no Curdistão iraquiano, onde vive em condições precárias.

O Papa Francisco recordou o sofrimento destes refugiados numa mensagem enviada dias antes do Natal.