Tempo
|

Patriarca de Jerusalém condena atentado contra sinagoga

18 nov, 2014 • Ecclesia

Fouad Twal pede fim de “espiral” de vingança, horas depois de o primeiro-ministro israelita ter garantido que o seu país vai responder “com punho de ferro”.

Patriarca de Jerusalém condena atentado contra sinagoga
O patriarca latino de Jerusalém, Fouad Twal, condenou esta terça-feira o atentado contra a Sinagoga de Jerusalém e pediu o fim de “todas as violências que ensanguentam” a Terra Santa, manifestando as suas condolências às famílias das vítimas.

“Nas nossas igrejas, conventos e mosteiros vamos rezar mais do que nunca para que o Senhor nos ajude e ajude os nossos dirigentes a dar os passos certos para que haja paz e segurança para todos, todos, todos”, declarou o responsável máximo pela comunidade católica de rito latino em Jerusalém, falando à Agência Fides, do Vaticano.

O primeiro-ministro israelita reagiu ao atentado no bairro Har Nof, em Jerusalém, que causou a morte a, pelo menos, seis pessoas, e advertiu que Israel vai "responder com punho de ferro".

As informações iniciais indicam que dois homens palestinianos terão entrado com armas na sinagoga, matando quatro judeus e ferindo outros nove, antes de serem mortos durante um tiroteio com a polícia.

O patriarca latino de Jerusalém convidou todos os responsáveis a interromperem a “espiral infinita das vinganças”. “Caso contrário, viveremos sempre no medo, sem liberdade nem dignidade. São estes os pensamentos que temos no coração, à medida que nos aproximamos do Natal”, acrescentou.

O atentado ocupa a capa na mais recente edição do jornal do Vaticano, “L'Osservatore Romano”, que fala em "terror na sinagoga".