Tempo
|

Casal cristão assassinado no Paquistão por alegada profanação do Alcorão

04 nov, 2014

Duplo homicídio ocorreu no dia em que a fundação Ajuda à Igreja que Sofre lança um relatório que dá conta de um agravamento da perseguição religiosa, sobretudo no mundo islâmico.

Um casal cristão foi assassinado esta terça-feira, no Paquistão, por alegadamente ter profanado um exemplar do Alcorão.

Shama e Shehzad, de 24 e 26 anos, foram apanhados por uma multidão enfurecida de muçulmanos que os acusou de terem sido os autores de uma alegada profanação do livro sagrado do Islão, que terá ocorrido na segunda-feira.

Depois de espancados, os dois foram mortos e os seus corpos foram colocados num forno para cozer tijolos, no preciso local em que trabalhavam.

As autoridades já confirmaram o incidente e anunciaram que vão investigar o sucedido.

Os cristãos formam uma pequena minoria dos habitantes do Paquistão, um estado oficialmente islâmico, e são frequentemente vítimas de perseguição por parte de radicais muçulmanos.

O duplo homicídio ocorreu no dia em que a fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), uma organização oficial do Vaticano, lança o seu relatório da liberdade religiosa no mundo, que é publicado de dois em dois anos.

No relatório a AIS conclui que a intolerância religiosa piorou muito desde 2012, com particular gravidade nos países de maioria islâmica.