Tempo
|

Boko Haram nega cessar-fogo e libertação de raparigas

03 nov, 2014

Grupo terrorista nigeriano diz que as alunas raptadas em Abril foram convertidas ao Islão e casadas.

Boko Haram nega cessar-fogo e libertação de raparigas

O líder do grupo terrorista Boko Haram rejeita a libertação das 200 raparigas raptadas em Abril e nega qualquer acordo de paz com o Governo da Nigéria.

As jovens, levadas pelos extremistas de uma escola da localidade de Chibok, “foram convertidas ao Islão” e casadas à força, revelou Abubakar Shekau, num vídeo divulgado no fim-de-semana.

As autoridades nigerianas anunciaram, há duas semanas, um acordo com o grupo terrorista, mas o líder do Boko Haram nega tudo.

Abubakar Shekau afirma não conhecer o negociador com quem o Governo nigeriano diz ter alcançado um entendimento para libertar as raparigas e para cessar-fogo.

Em declarações à estação de televisão CNN, o coordenador do Centro Nacional de Informação da Nigéria admite que esta tomada de posição do líder do Boko Haram contradiz as conversações das últimas semanas e vão ser analisadas. “Já tomámos conhecimento do vídeo e só podemos dizer que a estrada para a paz é acidentada e não poderíamos esperar outra coisa. A Nigéria tem combatido uma guerra e as guerras não acabam da noite para o dia”, declarou Mike Omeri.

Representantes do Governo nigeriano encontraram-se recentemente, por duas vezes, com elementos do Boko Haram. As conversações foram mediadas Presidente do Chade, Idriss Deby. 

O cessar-fogo anunciado a 17 de Outubro foi antecedido de um mês de negociações, de acordo com Hassan Tukur, um assessor do Presidente nigeriano Goodluck Jonathan.

Quem são e o que querem os raptores das raparigas da Nigéria?