Tempo
|

Morreu o soldado canadiano atropelado por alegado islamita

21 out, 2014

Acto aparenta ter sido uma represália pelo Canadá se ter associado à coligação internacional que luta contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Morreu o soldado canadiano que tinha sido atropelado, juntamente com outro, por um alegado fundamentalista islâmico.

O militar não sobreviveu aos ferimentos causados pelo incidente, que teve lugar segunda-feira de manhã.

Os dois soldados estavam a andar na rua, numa cidade do Quebeque, quando foram atropelados por Martin Couture-Rouleau, que se pôs em fuga. O condutor foi perseguido por polícias e acabou por morrer depois de ter sido baleado, no decurso da fuga.

As autoridades afirmam que Rouleau, de 25 anos, se tinha convertido ao Islão e que se tinha radicalizado progressivamente, ao ponto de ter levado a cabo este acto, alegadamente em represália pelo facto de o Canadá se ter associado à coligação que luta contra o Estado Islâmico, na Síria e no Iraque.