Tempo
|

Cura milagrosa de feto permitiu beatificação de Paulo VI

17 out, 2014 • Aura Miguel

O rapaz curado tem agora 13 anos e a família pediu para não ser identificado. Nasceu nos Estados Unidos, quando tudo indicava que a gravidez não era viável.  

Cura milagrosa de feto permitiu beatificação de Paulo VI
O milagre que permite a beatificação de Paulo VI, no próximo domingo, aconteceu nos Estados Unidos, em 2001. Trata-se da cura inexplicável de um feto.

“Na 24ª semana de gravidez, os pais – que foram à clínica para conhecer o sexo do bebé – são informados de que a evolução do feto está gravemente comprometida. O problema era que a sua bexiga estava furada, por isso, espalhava o líquido, ou seja, a urina no abdómen do feto”, explicou esta sexta-feira o postulador da causa de beatificação de Paulo VI. 

O Padre António Marazzo referiu, em conferência de imprensa, que a grávida, mãe deste bebé com problemas, contactou uma sua amiga freira e pediu-lhe para rezar.

“Esta freira era uma das que tinha conhecido Paulo VI quando estava em Milão. A freira envia à grávida uma pagela de Montini com uma relíquia. E todos começam a rezar por intercessão do Papa Montini.”

Muitos amigos, familiares e vizinhos organizaram-se em oração e pediram ao Papa que publicou a encíclica “Humane Vitae” para salvar aquele bebé, ainda na barriga da mãe e o espanto dá-se quando, semanas depois, fazem novos exames clínicos.

“Na 34ª semana de gravidez, verifica-se uma remissão espontânea da patologia. Desapareceu tudo. Na 39ª semana, o menino nasce, após 15 semanas de oração e esperança. E nasce em boas condições, completamente são, nunca teve problemas desde que nasceu até hoje. Agora, com 13 anos, é um rapaz saudável, pratica desporto, é um rapaz normal e tranquilo", sublinha o postulador da causa de beatificação de Paulo VI.

Os pais e o rapaz de 13 anos pediram anonimato e por isso não têm sido identificados pelo Vaticano.