Tempo
|

Papa defende “caminho do encontro entre jovens e idosos”

28 set, 2014

Francisco participou com Bento XVI no encontro mundial de idosos e avós.

Não há futuro para um povo sem o encontro entre as gerações, alerta o Papa Francisco no encontro mundial de idosos e avós, que decorreu no Vaticano.

O Papa disse que a violência contra os mais velhos é desumana e o abandono dos idosos é um problema da cultura de hoje. E lembrou os que vivem em lares. "Os lares de idosos devem ser os pulmões da humanidade, num país, num bairro, numa paróquia. Devem ser santuários da humanidade nos quais quem é velho e fraco seja cuidado e guardado como um irmão ou uma irmã", disse.

Depois do encontro, em que participou também o Papa Emérito Bento XVI, o Papa Francisco presidiu à missa na Praça de São Pedro.

Na homilia, o Sumo Pontífice reforçou a importância do encontro entre jovens e idosos. “Assim, a Virgem Maria indica-nos o caminho: o caminho do encontro entre os jovens e os idosos. O futuro de um povo supõe necessariamente este encontro: os jovens dão a força para fazer caminhar o povo e os idosos revigoram esta força com a memória e a sabedoria popular.”

Francisco lembra que “às vezes há gerações de jovens que, por complexas razões históricas e culturais, vivem de forma mais intensa a necessidade de se tornar autónomos dos pais, a necessidade quase de ‘libertar-se’ do legado da geração anterior. Parece um momento de adolescência rebelde”.

Mas reforça que “se não se volta a encontrar um equilíbrio novo, fecundo entre as gerações, o resultado é um grave empobrecimento para o povo, e a liberdade que prevalece na sociedade é uma liberdade falsa, que se transforma quase sempre em autoritarismo.”