Tempo
|

Site da Comunidade Islâmica foi atacado. Abdool Vakil lamenta acto “provocador”

21 set, 2014

Vakil nega que alguém da sua “comunidade ou qualquer muçulmano residente em Portugal” “possa ter esse tipo de atitude.

O site da Comunidade Islâmica de Portugal (CIP) foi alvo de um ataque informático. Um alegado texto jihadista foi colocado na homepage da página apelando à violência e à “ocupação de Portugal”. O texto com data de quarta-feira foi retirado e substituído por um comunicado da comunidade islâmica de Lisboa.

A CIP divulgou uma mensagem do presidente da direcção da Comunidade Islâmica. Abdool Vakil nega que alguém da sua “comunidade ou qualquer muçulmano residente em Portugal” “possa ter esse tipo de atitude parecendo mais uma acção de um agente provocador”.

O presidente da direcção da Comunidade Islâmica reafirma que estão todos “bem integrados na sociedade portuguesa” e defendem “uma harmonia e respeito mútuo entre todas as religiões”.

Vakil acrescenta que “os supostos jihadistas portugueses mencionados nos jornais já viviam fora de Portugal há algum tempo, antes de serem aliciados por esses movimentos”.

“Também queria frisar que para nós, os não muçulmanos não são infiéis e os Judeus e Cristãos são irmãos num só Deus”, refere ainda Abdool Vakil.

O presidente da direcção da Comunidade Islâmica acrescenta “que o que se está a passar nada tem a ver com os muçulmanos port‎ugueses e apenas traz uma ideia errada do que de facto é o Islão e não passa de uma tentativa de provocar reacções contra muçulmanos e de denegrir a imagem da sua religião."

O caso foi já entregue às autoridades.