Tempo
|

Papa envia representante para junto de cristãos refugiados no Iraque

08 ago, 2014 • Filipe d’Avillez

“Peço a todos os homens e mulheres de boa vontade que se juntem a mim em oração pelos cristãos do Iraque e todas as populações vulneráveis”, escreveu o Papa Francisco, no Twitter.  

Papa envia representante para junto de cristãos refugiados no Iraque
O Papa Francisco vai enviar um representante para estar próximo dos cristãos no Iraque que ao longo das últimas semanas se refugiaram no Curdistão, perante os avanços dos fundamentalistas do Estado Islâmico.

O Cardeal Filoni, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, irá em nome do Papa para junto das dezenas de milhares de cristãos que fugiram sobretudo da cidade de Mossul, ocupada há semanas e de Qaraqosh, a maior cidade cristã do norte do Iraque, invadida esta semana pelos terroristas, para além de várias aldeias e vilas na região.

Actualmente, entre cristãos e membros de outras minorias, há centenas de milhares de pessoas refugiadas em Arbil, a capital do Curdistão. Só nas últimas 48 horas, segundo dados da ONU, 200 mil pessoas chegaram à cidade.

Na quinta-feira o Papa Francisco publicou uma nota em que pedia a ajuda internacional para estes refugiados. Essa ajuda chegou através de Barack Obama, que no mesmo dia prometeu ajuda humanitária para os cerca de 50 mil membros da comunidade yazidi que estão encurralados no monte Sinjar, e ataques contra alvos específicos do Estado Islâmico que estivessem a ameaçar o pessoal ou edifícios dos EUA em Arbil ou em Bagdad.

Esta sexta-feira o Papa publicou uma curta mensagem na sua conta do Twitter em que pede a “todos os homens e mulheres de boa vontade” para se juntarem a ele “em oração pelos cristãos do Iraque e todas as populações vulneráveis”. 

O "tweet" foi publicado apenas em inglês e em mais nenhuma das oito línguas que a conta utiliza, incluindo o árabe.