Tempo
|

Novo site promove jornada de oração pelos cristãos no Iraque

02 ago, 2014 • Ângela Roque

O símbolo usado pelos islamitas para marcar as casas dos cristãos foi adoptado globalmente pelos seus defensores, indicando que “todos somos cristãos iraquianos”.  

Novo site promove jornada de oração pelos cristãos no Iraque
Foi lançado este sábado um novo site de apoio aos cristãos no Iraque.

Criado com o apoio da fundação Ajuda à Igreja que Sofre, em resposta ao apelo do Patriarca de Bagdad, o site insere-se na campanha de oração pela comunidade que nas últimas semanas viu agravar-se a sua situação, e que inclui um dia Mundial de Oração pela Paz no Iraque, marcado para quarta-feira dia 6 de Agosto.

Catarina Martins, do ramo português da Ajuda à Igreja que Sofre, explica os objectivos da iniciativa: “O lema deste site é ‘todos nós somos cristãos iraquianos’, todos nós devemos estar em comunhão por estar causa, para que quem está no terreno possa saber que há alguém do lado de cá, do Ocidente, que se preocupa, e está empenhado, e portanto também dar algum ânimo e alguma esperança de que é possível fazer alguma coisa.”

“As pessoas poderão ir ao nosso site da AIS, ou ir a este nosso novo site, e aí ouvir também o testemunho do Patriarca de Bagdade, Louis Sako, a mensagem que nos enviou para este dia e uma oração criada por ele também.”

Catarina Martins deixa também um apelo aos portugueses: “Que pelo menos neste dia 6 todas as pessoas que nos estão a ouvir rezem por esta intenção, pela paz e reconciliação entre os iraquianos”.

O novo site está disponível em seis línguas, incluindo o português. O símbolo que o identifica é o mesmo com que os radicais sunitas marcaram as casas dos cristãos que expulsaram de Mossul: “Este símbolo é um ‘N’ árabe, e corresponde à palavra ‘nazareno’, é esse o significado, e foi o rosto que nós achámos que seria apropriado.”

“Todos nós seremos cristãos iraquianos neste dia, todos nós estaremos com estes nossos irmãos iraquianos, é um símbolo de união entre os vários cristãos e as várias comunidades. Como diz o apelo do Patriarca, que todos os homens de boa vontade, e que sintam que é possível viver em paz, independentemente da sua religião, que se unam neste dia em oração por esta intenção da reconciliação no Iraque.”