Tempo
|

Papas e a final do Mundial. Não deixe que a verdade estrague uma boa piada

11 jul, 2014 • Filipe d’Avillez

Francisco é argentino, Bento XVI alemão. Ratzinger nem vai ver a final do Mundial (não aprecia futebol). Mas, nas redes sociais, o Alemanha-Argentina tem sido motivo de várias piadas envolvendo os dois papas.

Papas e a final do Mundial. Não deixe que a verdade estrague uma boa piada
O Papa Francisco e o Papa Bento XVI não deverão ver a final do campeonato do mundo de futebol juntos, explicou esta quinta-feira o director da sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi.

Contudo, a decisão de não verem o desafio em conjunto nada tem a ver com rivalidade. O padre Lombardi recordou que Bento XVI, que já tem 87 anos, nunca gostou de futebol e seria “um castigo” obrigá-lo a assistir a 90 minutos de um jogo, quando “nunca viu uma partida completa na vida”.

Neste aspecto, Bento XVI difere do seu sucessor. Francisco é conhecido por ser adepto de futebol, em particular do clube San Lorenzo, que se sagrou campeão.

A situação de ter uma final do campeonato do mundo de futebol entre os países dos dois papas é caricata e tem sido motivo de grande diversão nas redes sociais, com várias imagens a circular que brincam com a situação.

A Renascença seleccionou algumas das mais bem-humoradas:

Os dois papas num cenário muito improvável, os dois a jogar um videojogo de futebol.

Uma imagem feita pela agência da Conferência Episcopal Americana, a desejar boa-sorte a ambos os papas para o jogo de domingo.
Nesta caricatura, Bento XVI aparece com uma caneca de cerveja, enquanto Francisco torce pela Argentina, enquanto bebe um mate, a bebida mais popular do seu país.

O desafio de domingo rebaptizado: “A Batalha dos Papas”. Mas tudo com "fairplay".

Uma fotomontagem dos papas como futebolistas à conquista do troféu.

Nesta imagem, que brinca com a cultura de pobreza do Papa Francisco, Bento XVI reage chocado à notícia de que o actual Papa cortou com a TV por cabo, impedindo-os de poder ver a final.

As caricaturas envolvendo o Papa Francisco e o Mundial começaram já nos oitavos de final quando a Argentina defrontou a Suíça. O facto de a guarda pessoal do Papa ser toda deste país europeu foi motivo de brincadeira…

Francisco acabou por não ver o jogo com os guardas suíços, ao contrário do que tinha sido especulado, mas isso não impediu alguns de imaginarem “Aquele momento incómodo em que o Papa percebe que é o único a apoiar a Argentina”…

... apesar de, no fim, ter sido Francisco que levou a melhor.