Tempo
|

Jihadistas proclamam califado no Iraque e na Síria

30 jun, 2014

É uma afirmação de poder do Estado Islâmico do Iraque e Levante, uma provocação à Al-Qaeda e um desafio à influência de vários países do Golfo.

Após uma ofensiva relâmpago no Iraque, os jihadistas sunitas do Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIS) proclamaram a criação de um califado (um estado islâmico), nas zonas sob o seu controlo no Iraque e na Síria, e convocaram todos os muçulmanos a jurar lealdade ao seu chefe, numa enorme demonstração das suas ambições.

Este grupo, que agora se chama apenas "Estado Islâmico", advertiu que todos os muçulmanos do mundo têm “o dever de jurar lealdade ao seu chefe”, Abu Bakr al-Baghdadi, proclamado Califa, segundo uma gravação de áudio divulgada na internet neste domingo, primeiro dia do Ramadão.

O anúncio representa uma provocação à Al-Qaeda, que tinha condenado as acções do ISIS, assim como a vários países do Golfo, que vêem na criação do novo estado islâmico um desafio à sua influência na região.

A palavra "califado" em árabe significa o processo de escolher um líder (o Califa) para os muçulmanos.

O califado, cujo chefe representa o sucessor do profeta Maomé como líder máximo dos crentes, é um regime que desapareceu após o desmantelamento do Império Otomano. Foi abolido pelo nacionalista e secular líder turco Mustafa Kamal Ataturk em 1924.

No Iraque, esta proclamação ocorre num momento em que as forças iraquianas tentam retomar as regiões conquistadas pelo ISIS, durante uma rápida ofensiva lançada no dia 9 de Junho.

A batalha ameaça aprofundar as divisões entre as comunidades do país, a começar no Parlamento, que deverá reunir-se na terça-feira para tentar aprovar a criação de um governo de união nacional.

De Aleppo a Dijallah
As autoridades iraquianas e sírias ainda não reagiram ao anúncio da criação deste califado, que, segundo o ISIS, se estende da cidade de Aleppo (norte da Síria) até Dijallah (leste do Iraque).

"Do ponto de vista geográfico, o Estado Islâmico é perfeitamente operacional no Iraque e na Síria. Além disso, também se encontra, embora escondido, no sul da Turquia, e parece ter presença no Líbano e partidários na Jordânia, em Gaza, na Indonésia, na Arábia Saudita e noutros lugares", afirmou Charles Lister, pesquisador associado ao Brookings Doha, à Reuters.

"Pode tratar-se do nascimento de uma nova era do jihadismo transnacional", disse Lister, ao ressalvar que a criação de um califado "representa uma ameaça importante para a Al-Qaeda e para o seu papel na causa jihadista mundial".

Quem são e o que querem os jihadistas que lançam o caos no Iraque?