Tempo
|

Socialistas católicos apoiam Guterres para presidenciais de 2016

18 jun, 2014 • Filipe d’Avillez

"Apoiamos António Guterres porque como ele defendemos a esquerda humanista", diz o movimento. Guterres ainda não anunciou se vai ser candidato, mas deixou a questão em aberto.

Socialistas católicos apoiam Guterres para presidenciais de 2016
O Movimento de Socialistas Católicos lançou uma página de apoio a uma eventual candidatura de António Guterres à Presidência da República nas próximas eleições, em 2016.

A página na rede social Facebook reúne, por enquanto, recortes de imprensa e mensagens de apoio ao ex-primeiro-ministro, que desempenha agora as funções de alto-comissário das Nações Unidas para os refugiados.

Cláudio Anaia, coordenador do Movimento de Socialistas Católicos, justifica o apoio a António Guterres com o facto de se tratar de uma figura histórica do Partido Socialista, conhecido também pela sua fé católica que o levou, por exemplo, a tomar posição pública contra a liberalização do aborto das três vezes que a questão foi a votação (primeiro só no Parlamento, e duas vezes em referendo).

“Apoiamos António Guterres porque como ele defendemos a esquerda humanista”, pode ler-se num documento enviado à Renascença. O texto prossegue, dizendo que esta esquerda humanista, “cuja tradição é precisamente a defesa dos mais débeis e vulneráveis, deveria estar na primeira linha na promoção desse valor, em vez de contribuir para a banalização do aborto.”

A oposição à liberalização do aborto é precisamente a razão invocada por outra socialista, Isabel Moreira, para rejeitar a candidatura de Guterres, conforme a mesma escreveu numa mensagem também publicada na sua página do Facebook esta quarta-feira.

António Guterres ainda não anunciou se vai ser candidato à presidência em 2016, mas deixou a questão em aberto quando disse, respondendo directamente a essa questão, que “há sempre uma possibilidade, mesmo que mínima, de isso acontecer”.

O Movimento de Socialistas Católicos é composto actualmente por algumas dezenas de membros, por todo o país, e é reconhecido pelo partido.