Tempo
|

Nigéria

Boko Haram disposto a trocar raparigas por presos

12 mai, 2014

O rapto de centenas de alunas chocou o mundo bem para além das fronteiras da Nigéria, com vários países a condenar publicamente o acto, incluindo Portugal e a Santa Sé.

Boko Haram disposto a trocar raparigas por presos
Boko Haram disposto a trocar raparigas por presos
O líder do grupo radical Boko Haram divulgou um vídeo, revelado esta segunda-feira pela agência France Presse, onde aparecem dezenas de raparigas - alegadamente algumas das raptadas - a recitar o Alcorão. Abubakar Shekau afirma no vídeo que as raparigas se converteram ao Islão e admite a troca das estudantes por prisioneiros do grupo radical islâmico detidos em cadeias nigerianas. O movimento islâmico radical raptou quase 300 menores de uma escola na Nigéria, no dia 14 de abril deste ano.
Os raptores das jovens nigerianas admitem agora deixá-las sair em liberdade em troca da libertação de presos do seu movimento.

O anúncio é feito por Bubakar Sheku, líder do grupo Boko Haram, num vídeo que acaba de ser divulgado e onde se podem ver algumas jovens.

O movimento islâmico radical raptou quase 300 menores de uma escola, um dos mais recentes actos de violência num historial de vários anos de atrocidades que incluem atentados em igrejas, ataques a mercados, massacres de civis e, ainda este ano, o ataque a uma escola interna de rapazes que resultou na morte de dezenas de jovens alunos.

Foi num ataque a outra escola interna que o Boko Haram conseguiu raptar cerca de 270 raparigas. Algumas conseguiram escapar, mas ainda há cerca de 230 menores nas mãos deste movimento que inicialmente anunciou que elas iam ser vendidas num mercado humano, para serem mulheres de combatentes islâmicos.

O rapto das alunas chocou o mundo bem para além das fronteiras da Nigéria, com vários países a condenar publicamente o acto, incluindo Portugal e a Santa Sé. Uma equipa de especialistas americanos já se encontra na Nigéria para ajudar a localizar as raparigas e França já ofereceu ajuda também.