Tempo
|

Padre Dall’Oglio estará vivo

29 abr, 2014

A família do jesuíta, raptado há nove meses, pede que os seus raptores o libertem. Segundo o site italiano “Vatican Insider”, todas as fontes indicam que o sacerdote ainda está vivo.

Padre Dall’Oglio estará vivo
Siria, Deir Mar Musa
Passam esta terça-feira nove meses que foi raptado, na Síria, o padre Paolo Dall’Oglio. O sacerdote italiano continua desaparecido desde que foi levado, ao que tudo indica por islamitas, no dia 29 de Julho de 2013, perto da cidade de Raqa, na Síria.

Desde essa altura, tem havido relatos contraditórios sobre o que lhe aconteceu, mas actualmente, segundo o site italiano “Vatican Insider”, as fontes mais próximas do processo concordam que estará vivo e nas mãos do grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, uma força islamita que luta contra o regime de Bashar al-Assad mas que tem estado também em conflito com outros grupos islâmicos, como a Frente Al-Nusra.

A família do padre jesuíta aproveitou para assinalar o nono mês do seu rapto com a divulgação de uma mensagem em que pede a sua libertação: “Pedimos a quem o detém o Paolo que lhe dê a oportunidade de regressar à liberdade e aos seus próximos, e a todas as instituições que continuem a trabalhar nesse sentido”.

Segundo o site italiano, este caso continua a ser acompanhado de perto pelas autoridades italianas.

O padre Dall’Oglio viveu cerca de três décadas na Síria e dedicava-se à preservação da tradição cristã indígena e ao fortalecimento das relações com os muçulmanos. Foi expulso do país por ordem do regime, depois de ter criticado a forma como as forças de Bashar al-Assad estavam a lidar com a insurreição.

Apesar de expulso, Dall’Oglio continuou a entrar ilegalmente na Síria, através das zonas ocupadas pelos rebeldes, tendo-o feito várias vezes, até ser raptado. O rapto foi chocante porque o jesuíta era um homem muito respeitado pela oposição síria e muitas vozes, tanto internacionais como internas ao país árabe, já pediram a sua libertação.