Tempo
|

CEP

D. Manuel Clemente diz que Concílio e 25 de Abril ainda estão por cumprir

29 abr, 2014 • Filipe d’Avillez

Reunião plenária da CEP começou em Fátima. Um dos principais pontos na ordem de trabalhos é a eleição dos órgãos sociais  para os próximos três anos. Na agenda, está também a reforma dos manuais de Educação Moral e Religiosa Católica.

D. Manuel Clemente diz que Concílio e 25 de Abril ainda estão por cumprir
O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Manuel Clemente, afirmou, esta terça-feira de manhã, que tanto o Concílio Vaticano II como o 25 de Abril ainda não foram plenamente cumpridos.

No discurso de abertura da assembleia  plenária da CEP, que decorre em Fátima, D. Manuel, referindo-se ao 40º aniversário do golpe de Estado que permitiu a instauração da Democracia, recordou que, um ano antes do 25 de Abril, os bispos de então já tinham feito uma análise da sociedade que apontava falhas a corrigir, incluindo a falta de liberdades e as condições “infra-humanas” em que muitos viviam.

“Sendo verdade que os bispos portugueses tinham bem presente a situação do país em 1973, temos de concluir, agora, nós, em 2014, que muito se fez entretanto e na esteira da Revolução de Abril para responder às lacunas referenciadas. Mas ainda faltará outro tanto para que sejam definitivamente ultrapassadas aquelas e outras que sobrevieram, no actual condicionalismo socioeconómico e cultural", afirmou o também  Patriarca de Lisboa.

“A nossa gratidão aos obreiros da democracia portuguesa tem de acrescentar-se com o empenho permanente no seu reforço, em tudo e para todos”, realçou.

Antes, falando sobre a canonização dos dois papas, D. Manuel Clemente falou da importância do Concílio Vaticano II, convocado por João XXIII: “Lembramo-nos, certamente, das imagens do Concílio Vaticano II, transmitidas já pela televisão, com a reforçada presença do catolicismo universal nas nossas vidas e empenhamentos eclesiais. Tais imagens, que retemos na memória e no coração, bem como tudo o referente ao 'Bom Papa João', são para nós uma lembrança sempre motivadora, para uma herança conciliar ainda em fase de recepção e pleno cumprimento".

Na sua intervenção, o presidente da CEP sublinhou que muito mudou no episcopado português desde o último encontro plenário. Dois bispos morreram - D. José Policarpo e D. Joaquim Gonçalves - outros dois foram nomeados, embora não tenham sido ainda ordenados, e os novos bispos do Porto e das Forças Armadas tomaram posse.

D. Manuel Clemente não deixou também de explicar que um dos principais pontos na agenda deste encontro é a reforma dos manuais de Educação Moral e Religiosa Católica, bem como a eleição dos novos órgãos sociais da CEP para os próximos três anos.