Tempo
|

João XXIII e João Paulo II já são santos

27 abr, 2014 • Filipe d'Avillez

As duas relíquias dos novos santos da Igreja já foram incensadas, significando que os dois homens podem agora ser venerados pelos fiéis.

João XXIII e João Paulo II já são santos
João XXIII e João Paulo II já são santos
A Igreja passou, a partir da manhã deste Domingo, a contar com dois novos santos. O cardeal Angelo Amato fez o pedido oficial ao Papa, ao que este respondeu positivamente. A partir desta formalidade, os dois papas foram proclamados santos e podem agora ser venerados como tal pelos fiéis. Como sinal desta elevação, foram então levadas para junto do altar relíquias destes dois novos santos. De João Paulo II, um pequeno frasco de sangue, e de João XXIII um pedaço de osso.
A cerimónia de canonização de João XXIII e de João Paulo II teve início logo ao abrir da celebração da missa deste domingo, no Vaticano, presidida pelo Papa Francisco.

O prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato, fez o pedido oficial ao Papa, ao que este respondeu positivamente. A partir desta formalidade a Igreja Católica passou a contar com dois novos santos, que podem agora ser venerados como tal pelos fiéis.

Como sinal desta elevação, foram então levadas para junto do altar relíquias destes dois novos santos. De João Paulo II, um pequeno frasco de sangue, e de João XXIII um pedaço de osso. As relíquias foram depois incensadas por um diácono.

João XXIII e João Paulo II foram duas das mais importantes figuras da Igreja do século XX. O primeiro teve a coragem de convocar o Concílio Vaticano II, apesar de muitos o considerarem um "Papa de transição", eleito depois do longo pontificado de Pio XII. O concílio mudaria a face exterior da Igreja, alterando a forma como esta se encara a si mesma, mudando a liturgia e abrindo-a ao diálogo com o mundo, com outras confissões cristãs e com outras religiões.

João Paulo II foi um dos jovens bispos que participou nesse Concílio e passou anos a aplicá-lo na sua diocese de Cracóvia antes de ser eleito Papa, em 1978. Ao longo do seu pontificado de quase três décadas, um dos mais longos da Igreja, enfrentou inúmeros desafios, teve uma grande influência na queda do Comunismo, no bloco de Leste e conquistou tanto os corações dos fiéis como o respeito dos seus contemporâneos.

Com a canonização simultânea dos dois Papas, estes ficam ligados para sempre na História da Igreja, mais do que já tinham estado em vida.