Tempo
|

Novo Patriarca siríaco tem experiência ocidental

01 abr, 2014 • Filipe d’Avillez

Sobre a guerra na Síria, enquanto arcebispo nos Estados Unidos, o novo Patriarca disse que: “Não somos pelo regime nem contra o regime, somos contra a destruição da Síria”.  

Novo Patriarca siríaco tem experiência ocidental
O sínodo da Igreja Ortodoxa Siríaca acaba de eleger o seu novo Patriarca.

Cyril Aphrem Karim, ou Mor Inácio Aphrem II, como passa a ser formalmente conhecido, tem apenas 48 anos.

O novo Patriarca nasceu na Síria mas tem vasta experiência no ocidente, tendo estudado na Irlanda e sendo actualmente arcebispo da comunidade siríaca ortodoxa nos Estados Unidos e Canadá.

Para além de algumas obras teológicas mais profundas, nomeadamente a obra “Símbolos da Cruz nos Escritos dos Primeiros Padres Siríacos”, o recém-eleito Patriarca é também autor de dois livros infantis: “Na Casa da Árvore” e “Animais da Bíblia”.

Enquanto Patriarca o principal desafio do Patriarca Inácio Aphrem II será a guerra civil na Síria que já entrou no seu quarto ano e fez mais de 150 mil mortos.

Embora a maioria dos ortodoxos siríacos viva na Índia, no Estado de Kerala, a sede do patriarcado e a comunidade mais antiga reside ainda na Síria, onde constitui a terceira maior comunidade cristã, a seguir à Igreja Ortodoxa Grega e a Igreja Melquita.

Os cristãos têm sofrido bastante com a guerra civil, sobretudo à medida que os islamitas aumentam de influência entre a oposição.

Sobre a guerra, enquanto arcebispo nos Estados Unidos, o novo Patriarca disse que: “Não somos pelo regime nem contra o regime, somos contra a destruição da Síria”.

Mor Inácio Aphrem condenou também a proposta de uma intervenção internacional contra o Governo Sírio, que foi avançada por Barack Obama em 2013.

O antecessor de Inácio Aphrem abandonou Damasco por razões de segurança no auge da Guerra Civil, tendo ido primeiro para Beirute e depois, quando a sua saúde piorou, para a Alemanha, onde morreu a 21 de Março, aos 80 anos.

O novo Patriarca terá agora de decidir se regressa à Síria ou se continua a residir fora da pátria ancestral da sua Igreja.

A Igreja Ortodoxa Siríaca pertence à comunhão de Igreja Ortodoxas Orientais que se separou da restante igreja depois do Concílio de Calcedónia. A Igreja Apostólica da Arménia, A Igreja Copta e a Igreja Ortodoxa da Etiópia também fazem parte desta comunhão.