Tempo
|

Papa apela ao fim da violência na Ucrânia

19 fev, 2014 • Ecclesia

O Papa diz que acompanha os acontecimentos com "espírito preocupado". Francisco já tinha deixado um apelo à paz na Ucrânia a 26 de Janeiro, numa altura em que Governo e oposição iniciaram negociações que levaram à demissão do primeiro-ministro do país.

O Papa Francisco mostrou esta quarta-feira a sua preocupação com a situação na Ucrânia, apelando ao fim da violência no país, palco de violentos confrontos em Kiev.

“Com o espírito preocupado, acompanho o que está a acontecer por estes dias em Kiev. Asseguro a minha proximidade ao povo ucraniano e rezo pelas vítimas da violência, pelos seus familiares e pelos feridos”, declarou o Papa. “Convido todas as partes a cessar qualquer acção violenta e a procurar a concórdia e a paz do país”, disse, durante a audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

Pelo menos 25 pessoas morreram nas últimas 24 horas, na Ucrânia, segundo os dados avançados pelo Ministério da Saúde ucraniano. Os confrontos entre polícias e manifestantes continuaram durante a noite de terça-feira na Praça da Independência de Kiev, na sequência de uma crise política na Ucrânia que desde finais de Novembro levou milhares de pessoas às ruas para protestar contra a decisão do presidente Viktor Yanukovitch de suspender a assinatura de um acordo de associação com a União Europeia.

O Papa já tinha deixado um apelo à paz na Ucrânia a 26 de Janeiro, numa altura em que Governo e oposição iniciaram negociações que levaram à demissão do primeiro-ministro, Mikola Azarov, e a evacuação da Câmara Municipal de Kiev e outros edifícios públicos.

“Estou próximo da Ucrânia com a oração, em particular dos que perderam a vida nestes dias e das suas famílias. Desejo que se desenvolva um diálogo construtivo entre as instituições e a sociedade civil, evitando qualquer recurso a acções violentas, e que prevaleça no coração de cada um o espírito de paz e a busca do bem comum”, declarou, após a recitação da oração do Ângelus.