Tempo
|

Papa recebe documentário "made in" Portugal. “Uma história de vida humana de excepção”

19 fev, 2014 • Ângela Roque

No documentário "O Meu Bairro", Inês e Daniela Leitão mostram um exemplo de como a Igreja está no terreno, neste caso, no bairro do Zambujal, às portas de Lisboa.

Papa recebe documentário "made in" Portugal. “Uma história de vida humana de excepção”
Papa recebe documentário "made in" Portugal. “Uma história de vida humana de excepção”

Duas portuguesas vão entregar esta quarta-feira ao Papa um documentário que fizeram sobre o trabalho dos missionários da Consolata num bairro dos arredores de Lisboa. As irmãs Leitão dizem que esta é “uma história de excepção que merecia ser contada”.

No documentário "O Meu Bairro", Inês e Daniela mostram um exemplo de como a Igreja está no terreno, neste caso, no bairro do Zambujal, às portas de Lisboa. “Para nós faz muito sentido mostrar a Igreja que trabalha e está perto dos mais pobres e dos excluídos”, diz a argumentista Inês Leitão.

“ Ali os padres e as irmãs trabalham com a comunidade. Estão há 10 anos no bairro do Zambujal a trabalhar no terreno, a casa deles é um apartamento dentro do bairro. Um grupo de irmãs abriu uma escolinha para alfabetização de mulheres africanas, para elas poderem falar melhor português e poderem obter um emprego melhor; a Casa Zambujal foi uma associação que foi criada para tirar os jovens da rua; os padres e as irmãs estão a criar um ginásio”, exemplifica.

A argumentista diz que esta era uma história que merecia ser contada. “Estamos a falar de irmãos e irmãs maravilhosos, e eles mereciam ser mostrados. Eu acredito que se podem dar na televisão ou no cinema histórias boas, e esta história destes missionários não é uma história boa, é uma história de vida humana de excepção.”

Com o filme pronto, acharam que fazia sentido mostrá-lo ao Papa, que tem pedido aos média que divulguem o trabalho da Igreja. “Eu escrevi-lhe uma carta a explicar-lhe aquilo que tinha feito, e aquilo que eu gostaria de poder continuar a fazer, que é mostrar a Igreja de uma forma inovadora, a católicos e não católicos, uma Igreja que trabalha e que é fraterna”, explica Inês Leitão.

O pedido foi aceite e a expectativa é agora muita. “Nós estaremos ali para o cumprimentar e para lhe dizer em breves palavras aquilo que fazemos, para lhe dar uma grande abraço, se ele permitir, e para lhe entregar em mãos ‘O Meu Bairro’, que era o que eu queria fazer.”

Inês é a argumentista, Daniela a realizadora, e este é já o segundo documentário que fazem sobre o trabalho da Igreja. O primeiro, "Mulheres de Deus", foi com as irmãs hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus. Desta vez quiseram inovar e pediram ao grupo “Mundo Complexo” que fizessem a banda sonora do filme, que ficou assim “um documentário religioso, mas com rap”.