Tempo
|

Papa considera que divisões entre cristãos são uma ferida

25 jan, 2014

Francisco presidiu este sábado a uma celebração ecuménica na Basílica de São Paulo extramuros, no encerramento da semana para a unidade dos cristãos.

Papa considera que divisões entre cristãos são uma ferida
Papa considera que divisões entre cristãos são uma ferida
O Papa disse hoje que as divisões entre os cristãos são uma ferida para o mundo e que não se pode perceber a missão de Pedro sem dialogar com os que acreditam em Deus. Francisco – que presidiu esta tarde a uma celebração ecuménica na Basílica de São Paulo extra-muros, no encerramento da semana para a unidade dos cristãos - elogiou o esforço ecuménico dos Papas anteriores.

O Papa Francisco disse este sábado que as divisões entre os cristãos são uma ferida para o mundo e que não se pode perceber a missão de Pedro sem dialogar com os que acreditam em Deus.

“Não podemos considerar as divisões na Igreja como um fenómeno de certo modo natural, inevitável em toda a forma de vida associativa. As nossas divisões ferem o corpo de Cristo, ferem o testemunho que somos chamados a prestar-Lhe no mundo”, declarou.

Francisco, que presidiu a uma celebração ecuménica na Basílica de São Paulo extramuros, no encerramento da semana para a unidade dos cristãos, elogiou o esforço ecuménico dos Papas anteriores.

“O obra destes meus antecessores fez com que a dimensão do diálogo ecuménico se tivesse tornado um aspecto de tal modo essencial do ministério do Bispo de Roma, que hoje não se compreenderia plenamente o serviço petrino sem incluir nele esta abertura ao diálogo com todos os crentes em Cristo”, afirmou o Papa.

“Podemos afirmar também que o caminho ecuménico permitiu aprofundar a compreensão do ministério do sucessor de Pedro e devemos ter confiança de que vai continuar a fazê-lo também no futuro”, sublinhou Francisco.