Tempo
|

"Ajuda de Berço" beneficia de fundos recolhidos com renúncia quaresmal

23 jan, 2014 • Ecclesia

Donativos dos serão canalizados para a construção de cuidados continuados pediátricos.

"Ajuda de Berço" beneficia de fundos recolhidos com renúncia quaresmal

O Patriarcado de Lisboa anunciou esta quinta-feira em comunicado que a renúncia quaresmal da diocese, o dinheiro a que os crentes renunciam como oferta durante a época da Quaresma, vai ser entregue este ano à Associação de Solidariedade Social "Ajuda de Berço", para a construção de uma unidade de cuidados continuados pediátricos.

A decisão foi aprovada pelo Conselho Presbiteral, órgão constituído por representantes dos padres da diocese, que se reuniu entre terça e quarta-feira.

A  renúncia quaresmal é uma prática proposta pela Igreja Católica em que os fiéis abdicam da compra de bens adquiridos habitualmente noutras épocas do ano, reservando o dinheiro para finalidades especificadas pelo bispo diocesano.

A Quaresma, que este ano se inicia a 5 de Março, com a celebração de Quarta-feira de Cinzas, é um período de 40 dias, excetuando os domingos, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

Na primeira reunião do Conselho Presbiteral de Lisboa presidida por D. Manuel Clemente, o Patriarca lembrou que é necessário criar uma "disponibilidade espiritual para a evangelização", e uma "coragem", para caminhar numa posição de "contracorrente".

"Se formos coerentes com o que anunciamos, podemos sentir a alegria do Evangelho", e "há muito trabalho a fazer", afirmou, no discurso inicial.

O Conselho Presbiteral reflectiu ainda sobre "algumas questões relacionadas com o tema da família e as dificuldades que surgem na transmissão da fé e dos valores morais".

O Patriarcado prevê a criação de equipas de pastoral familiar nas vigararias e paróquias da diocese e a constituição de um núcleo de apoio para ajudar nas "situações difíceis com as quais as famílias se confrontam", para além de "um serviço de preparação para o baptismo e outro para o matrimónio".

No final da sessão do Conselho Presbiteral, o Patriarca de Lisboa apresentou a proposta de realização de um Sínodo Diocesano, a realizar em 2016, que foi "aprovado por unanimidade e com aclamação".