Tempo
|

Morreu o impulsionador em Portugal do movimento de Schoenstatt

14 jan, 2014

Sacerdote por vocação tardia, foi ordenado aos 37 anos, após ter estudado Economia, na Suíça, e de ter levado uma vida boémia em Coimbra.

O padre Miguel Lencastre, impulsionador em Portugal do movimento apostólico de Schoenstatt, morreu na segunda-feira, no Brasil.

A notícia foi confirmada no site oficial do movimento em Portugal, numa nota assinada pelo padre Diogo Mendes Barata.

O padre, de 84 anos, morreu no Recife, rodeado de família, amigos e os padres do movimento no Brasil.

“Há uns dias confidenciou a várias pessoas que estava a preparar a sua nova morada”, pode ler-se ainda na nota.

Antigo estudante boémio da Universidade de Coimbra, tendo morado na República dos Kágados em meados do século passado, Miguel Lencastre era filho de uma família católica conservadora de Paços de Ferreira.

Sacerdote por vocação tardia, foi ordenado aos 37 anos, após ter estudado também Economia, na Suíça.

Alguns anos mais tarde, já estava à frente da paróquia da Gafanha da Nazaré, concelho de Ílhavo, onde dinamizou as práticas religiosas inovadoras de Schoenstatt.

Era actualmente responsável por uma comunidade religiosa no Recife, segundo as regras do movimento nascido na Alemanha.

Miguel Lencastre é sobrinho de Sílvia Cardoso, que tem estátua em Paços de Ferreira e cujo processo de beatificação decorre no Vaticano.