Tempo
|

Papa destaca importância do baptismo

08 jan, 2014 • Ecclesia

Audiência geral teve um momento caricato, quando o Papa deu boleia no papamóvel a um padre que reconheceu na multidão.  

O Papa Francisco destacou esta quarta-feira, no Vaticano, a importância do baptismo, no início de um novo ciclo de catequeses sobre os Sacramentos, e pediu aos católicos que mantenham viva a “memória” da sua entrada na Igreja.

“O baptismo é o Sacramento sobre o qual se fundamenta a nossa fé e que nos faz membros vivos de Cristo e da sua Igreja: não é um simples rito ou acontecimento formal, é um ato que afecta em profundidade a existência”, disse, na audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro, perante dezenas de milhares de pessoas.

O Papa sustentou que o baptismo não é uma “formalidade”, mas “um acto que toca em profundidade” a existência.

“Pode surgir em nós uma questão: é realmente necessário o baptismo para viver como cristãos e seguir Jesus? Não é, no fundo, um simples rito, um ato formal da Igreja para dar o nome à criança? É uma pergunta que pode surgir”, admitiu.

Francisco respondeu com um sublinhado da “vida nova” que surge com este Sacramento: “Não é o mesmo uma criança ser baptizada ou não, não é o mesmo”.

À imagem do que fizera noutras ocasiões, a respeito do mesmo tema, o Papa desafiou os presentes a descobrir a “data feliz” do seu dia de baptismo e disse que este era um “trabalho de casa” que deixava aos participantes, para que essa celebração não se limite a ser um facto do “passado” e possa levar os fiéis a “viver cada dia aspirando à vocação” que receberam nesse Sacramento.

Segundo Francisco, ninguém se pode baptizar a si próprio, porque este é um “ato de fraternidade, de filiação à Igreja”, que funciona como uma cadeia.

“Pelo baptismo mergulhamos na fonte inesgotável da vida quem brota da morte de Jesus. Assim podemos viver uma vida nova, de comunhão com Deus e com os irmãos”, declarou.

O Papa explicou que nos Sacramentos, “centro da fé cristã”, Deus “comunica a sua graça, torna-se presente e atua” na vida de todos.

“Os sete Sacramentos da Igreja prolongam na história a acção salvífica e vivificante de Cristo, com a força do Espírito Santo. Se seguimos Jesus e permanecemos na Igreja, com os nossos limites e fragilidades, é graças aos Sacramentos”, precisou.

Francisco deixou uma saudação aos peregrinos de língua portuguesa presentes no Vaticano, encorajando-os a viver o baptismo como “realidade actual” da existência.

“Não deixeis que vos roubem a vossa identidade cristã! Com estes votos, invoco sobre vós e vossas famílias a abundância das bênçãos do Céu”, disse.

O Papa assistiu a uma actuação especial do ‘Golden Circus’ da italiana Liana Orfei, que este ano “privilegia o mundo latino-americano” e a quem deu os “parabéns”.

“Convido-os, na sua viagem de cidade em cidade, a sentirem-se mensageiros da alegria e da fraternidade numa sociedade que tem tanta necessidade disso”, declarou.

A audiência geral teve ainda um momento caricato no final, quando o Papa passava por entre a multidão, a bordo do papamóvel, e parou para dar boleia a um padre que reconheceu. O sacerdote, entre risos, aceitou o convite e fez o resto do percurso na viatura de Francisco.