Tempo
|

Bombas fazem 37 mortos em zonas cristãs do Iraque

25 dez, 2013

Este ano, pela primeira vez na sua história, o Governo do Iraque declarou o dia de Natal feriado nacional, em reconhecimento da população cristã.

Pelo menos 37 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em dois atentados em zonas cristãs de Bagdade, no Iraque.

O incidente mais grave foi a explosão de um carro-bomba perto da Igreja de São João, esta manhã, matando 26 pessoas e ferindo 38, algumas das quais tinham acabado de sair da Igreja depois da missa matinal.

Inicialmente a informação tinha sido avançada de que a bomba tinha tido como alvo a Igreja, mas representantes da Igreja e do Governo já disseram que o alvo era um popular mercado, situado numa zona cristã mas frequentada também por muçulmanos.

Mais cedo outra explosão num mercado, também numa zona maioritariamente cristã, fez mais 11 mortos.

As bombas servem de recordação das grandes dificuldades que a população cristã tem de enfrentar neste país, 10 anos após a queda do regime de Saddam Hussein, e surge dois dias depois de um sinal no sentido contrário, com o Governo a declarar o dia de Natal feriado nacional, em atenção para os cristãos.

Durante o regime de Saddam Hussein havia cerca de um milhão de cristãos no Iraque, comunidades com raízes muito antigas, mas desde a invasão da força multinacional, liderada pelos Estados Unidos, aumentou a perseguição aos cristãos e cerca de dois terços dos cristãos já abandonaram o país.

[Notícia actualizada às 15h01]