Tempo
|

Quase 14 mil pessoas responderam ao inquérito sobre a família em Lisboa

13 dez, 2013 • Angela Roque

Na maioria foram as mulheres a aderir a este pedido do Papa. O mais novo a responder tem apenas oito anos e o mais velho 92, segundo dados fornecidos pelo Patriarcado de Lisboa.  

Foram quase 14 mil as pessoas que responderam ao questionário preparatório do Sínodo dos Bispos sobre a Família através do site do Patriarcado de Lisboa.

Os dados agora revelados indicam que houve pessoas de todas as idades a responder, na maioria leigos e mulheres.

Não se sabe ainda qual foi a tendência das respostas, apenas que o questionário que o Patriarcado disponibilizou na internet foi respondido por 13.912 pessoas, 3. 494 das quais de outras dioceses.

A maioria dos participantes são leigos, 93%, e mais de metade são mulheres. O mais novo a responder tinha apenas oito anos, o mais velho 92.

Ao todo 64% estavam na faixa etária entre os 30 e os 59 anos e 17% tinham mais de 60.

O Patriarcado vai agora proceder à análise de todos os contributos que recebeu através do questionário online, mas também em papel. A síntese dos resultados será enviada até final do mês para a Conferência Episcopal Portuguesa, que em Janeiro terá de reencaminhar os resultados para o Vaticano.

No site do Patriarcado de Lisboa o prazo para responder ao inquérito terminou dia 8, mas noutras dioceses ainda está a decorrer. Em Aveiro, Leiria e Funchal, por exemplo, só termina no próximo Domingo.

Para o secretário e porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa a participação no Questionário revela o interesse das pessoas por tudo o que se relaciona com a Família.

O padre Manuel Morujão considera que esta foi uma iniciativa muito oportuna que pode ajudar a Igreja a rever a sua pastoral nesta área: “O índice de participação mostra o interesse e a importância que cada um dá à sua família e às famílias dos outros, porque a sociedade é constituída por famílias.”

O porta-voz explica que ainda não há números para o total de respostas em todo o país, mas é certo que “a Comissão que foi indicada para trabalhar estas respostas terá muito trabalho”.