Tempo
|

“Pretendemos abrir ainda mais esta porta da fé"

24 nov, 2013 • Ângela Roque, com Inês Rocha

Patriarcado de Lisboa encerrou o Ano da Fé com uma peregrinação diocesana a Peniche.

“Pretendemos abrir ainda mais esta porta da fé"
“Pretendemos abrir ainda mais esta porta da fé"
Apesar do frio, milhares de pessoas da diocese de Lisboa encheram esta tarde o santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Peniche para o encerramento do Ano da Fé. A cerimónia começou com uma caminhada que partiu de três locais diferentes da cidade e terminou com a eucaristia presidida por D. Manuel Clemente, onde marcaram presença os bispos auxiliares de Lisboa e o Patriarca Emérito D. José Policarpo. Um encerramento simbólico que, para o patriarca de Lisboa, é uma porta que se abre.
A cerimónia de encerramento do Ano da Fé levou fiéis de todos os cantos da diocese de Lisboa até Peniche. Uma mobilização que não surpreendeu o Patriarca de Lisboa que deixou uma mensagem.

D. Manuel Clemente lembrou que a conclusão do Ano da Fé não é uma porta que se fecha, mas uma porta que se abre. “Pretendemos abrir ainda mais esta porta da fé, como presença de Cristo no mundo. Pois para nós cristãos com Cristo e com a vitória de Cristo sobre a morte não há impossíveis.”

A cerimónia começou com uma caminhada que partiu de três locais diferentes de Peniche, terminando com a eucaristia presidida por D. Manuel Clemente, onde marcaram presença os bispos auxiliares de Lisboa e o Patriarca Emérito D. José Policarpo.

Apesar do frio, milhares de pessoas encheram o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.