Tempo
|

Francisco pede aos cristãos que coloquem Jesus no centro das suas vidas

24 nov, 2013

Na missa de encerramento do Ano da Fé, o Papa convidou os fiéis a entregarem a Jesus a sua história, porque “quando o homem encontra a coragem de pedir perdão, o Senhor nunca deixa sem resposta um tal pedido”.

Francisco pede aos cristãos que coloquem Jesus no centro das suas vidas
O Papa destacou a centralidade de Cristo no encerramento do Ano da Fé. Francisco diz que as comunidades católicas têm de apresentar Jesus como centro da história da Humanidade e de cada homem.

“Jesus é o centro da criação; e, portanto, a atitude que se requer do crente – se o quer ser de verdade - é reconhecer e aceitar na vida esta centralidade de Jesus Cristo, nos pensamentos, nas palavras e nas obras. Quando se perde este centro, substituindo-o por outra coisa qualquer, disso só derivam danos para o meio ambiente que nos rodeia e para o próprio homem”, afirmou o Papa Francisco.

Na missa que presidiu este domingo de manhã no Vaticano, o Papa convidou os fiéis a entregarem a Jesus a sua história, porque, sublinha, “quando o homem encontra a coragem de pedir perdão, o Senhor nunca deixa sem resposta um tal pedido”.

“Hoje todos nós podemos pensar na nossa história e caminho”, destaca o Papa. “Cada um tem a sua história, também as suas falhas, os seus erros e pecados, os momentos felizes e os momentos obscuros. Faz-nos bem pensar na nossa história, olhar para Jesus e dizer-lhe, de coração: lembra-te de mim.”

Esta celebração, acompanhada por milhares de pessoas na Praça de São Pedro, contou com momentos especiais. O Papa Francisco pegou numa caixa com as Relíquias de São Pedro durante a recitação do Credo.

Também simbolicamente no encerramento deste Ano da Fé, Francisco distribui 36 exemplares da nova Exortação Apostólica "A alegria do Evangelho", a vários representantes de cinco continentes, incluindo dois artistas e dois jornalistas.

Significativo também como homenagem neste encerramento do Ano da Fé a todos aqueles que espalham a fé pelo mundo, nomeadamente missionários nos cinco continentes e, sobretudo, aos cristãos que, por causa da sua fé, correm perigo de vida nos seus países.

A missa presidida este domingo de manhã pelo Papa Francisco, em Roma, marcou o encerramento do Ano da Fé, iniciativa lançada por Bento XVI, que foi também lembrado e aplaudido, durante a homilia de Francisco.