Tempo
|

"Papa abraçou-me sem saber se era contagioso"

19 nov, 2013

A fotografia do Papa Francisco com Vinicio emocionou o mundo. O homem de 54 anos começou a ficar desfigurado aos 15 e os médicos diziam que não iria além dos 30.

"Papa abraçou-me sem saber se era contagioso"
O homem gravemente desfigurado que foi abraçado pelo Papa Francisco no início do mês deu uma entrevista em que recordou esse momento.

Vinicio diz que, enquanto o Papa lhe acariciava o rosto, sentiu amor: “As mãos do Papa são tão suaves, macias e bonitas. E o seu sorriso é claro e aberto. Mas o que mais me impressionou é que não hesitou em abraçar-me. Eu não sou contagioso, mas ele não o sabia. Acariciou-me por toda a cara e enquanto o fazia, eu só senti amor”.

Diagnosticado aos 15 anos com a doença de von Recklinghausen, Vincenzo não devia ter vivido para além dos 30 anos, segundo os médicos. Hoje conta com 54, mas a doença está de tal forma desenvolvida que todo o seu corpo está desfigurado por tumores benignos e chagas que lhe causam enorme desconforto e dor.

O encontro entre o Papa e Vinicio deu-se no final da audiência geral das quartas-feiras, no dia 6 de Novembro. O Papa costuma passar muitos minutos, às vezes horas, a passear entre a multidão e a cumprimentar quem lá está, sobretudo os doentes.

Em declarações ao jornal italiano "Panorama", Vinicio descreve o momento em que o Papa se aproximou dele: “Beijei-lhe a mão, enquanto com a outra ele me acariciava a cabeça e as feridas. Depois puxou-me para ele e abraçou-me e beijou-me. Foi muito emocionante. Durou pouco mais de um minuto, mas pareceu-me uma eternidade”.

Vinicio vive com a irmã, que também sofre da doença, mas num grau mais leve, e conta com a ajuda de uma tia, que o acompanhou para a audiência geral com o Papa.