Tempo
|

Síria e Filipinas no coração do Papa

13 nov, 2013

Francisco já tinha mencionado as Filipinas, apelando a orações e a ajuda concreta e enviou para aquele país mais de 110 mil euros.

O Papa Francisco recordou, esta quarta-feira, a situação dramática que se vive nas Filipinas e os jovens estudantes mortos em Damasco, quando o seu transporte escolar foi atingido por um morteiro.

Pelo menos quatro crianças morreram e seis ficaram feridas. “Tomei conhecimento, com grande dor, que há dois dias, em Damasco, tiros de morteiro atingiram crianças que regressavam da escola, bem como o condutor do autocarro. Várias crianças ficaram feridas. Por favor, que estas tragédias não voltem a acontecer nunca. Rezemos com força”.

As palavras surgiram no final da audiência-geral das quartas-feiras, na Praça de São Pedro. Mas também não esqueceu a situação dramática que se vive nas Filipinas. Francisco deixou também uma palavra às centenas de milhares de pessoas atingidas pelo Tufão Haiyan.

“Nestes dias, estamos a rezar e a unir forças para ajudar os nossos irmãos e irmãs das Filipinas. Estas são as verdadeiras batalhas a travar. Pela vida, nunca pela morte!”

Para além dos milhares de mortos directos pelo tufão, um número ainda maior ficou sem posses nem alimentos. Pelo menos oito pessoas morreram esmagadas quando uma multidão pilhou um armazém de arroz em busca de comida.

O Papa já tinha mencionado as Filipinas, apelando a orações e a ajuda concreta, no domingo. Na segunda-feira o Papa enviou para aquele país mais de 110 mil euros para ajudar as vítimas.