Tempo
|

Filipinos em Portugal “em choque” com efeitos do tufão

10 nov, 2013 • Filipe d’Avillez

“Do Papa às pessoas comuns, como o taxista, todos dizem que estão a rezar por nós e isso também nos consola. Sentimos que as pessoas nos apoiam e se preocupam por nós”.  

Filipinos em Portugal “em choque” com efeitos do tufão
A comunidade filipina em Portugal está em choque com a tragédia que está a afectar o seu país natal.

As Filipinas são o país com a maior comunidade católica de toda a Ásia, e nesta altura é a fé que dá força aos seus cidadãos, incluindo aqueles que estão longe.

O Padre Michael, que acompanha a comunidade católica de origem filipina, diz que todos rezam pelos seus compatriotas atingidos: “Ainda estamos em estado de choque. Há ilhas que foram muito afectadas. A nossa fé mantém-nos fortes. Juntamo-nos para rezar e é a nossa fé que nos ajuda a enfrentar todas as calamidades que afectam o país.”

Muitos dos filipinos em Portugal têm familiares nas zonas atingidas, mas é praticamente impossível saber notícias: “Alguns membros da nossa comunidade têm parentes nas zonas afectadas, tenho falado com eles mas não conseguem contactá-los, porque as linhas de comunicação estão em baixo”, diz o sacerdote. 

A tragédia nas Filipinas, onde se calcula que o número de mortos possa ultrapassar os 10.000, foi lembrada pelo Papa Francisco esta manhã, no Angelus. São estes gestos que dão esperança ao povo, considera o padre Michael em declarações à Renascença minutos antes de celebrar missa com a comunidade filipina, na Igreja do Corpo Santo, em Lisboa.

“Do Papa às pessoas comuns, como o taxista, todos dizem que estão a rezar por nós e isso também nos consola. Sentimos que as pessoas nos apoiam e se preocupam por nós”.