Tempo
|

Perseguição aos cristãos piorou muito nos últimos dois anos

17 out, 2013 • Filipe d’Avillez

“Perseguidos e Esquecidos?” é o título de um relatório, publicado esta manhã, do ramo britânico da fundação Ajuda à Igreja que Sofre. Situação piorou em 20 dos 30 países avaliados.

Os cristãos são o grupo religioso mais perseguido em todo o mundo e a situação piorou ao longo dos últimos dois anos.

A conclusão é da fundação Ajuda à Igreja que Sofre, cujo ramo britânico divulgou esta manhã, no Parlamento em Londres, um relatório chamado “Perseguidos e Esquecidos?”.

O relatório, apresentado pelo Arcebispo emérito de Cantuária, Rowan Williams, faz a análise de 30 países considerados de risco para cristãos e conclui que em dois terços deles a situação destes piorou muito desde 2011.

A chamada “Primavera Árabe”, que já foi apelidada de “Inverno dos Cristãos”, é um dos responsáveis apontados pelo relatório, devido ao aumento do islamismo fundamentalista em países como a Tunísia, Egipto, Líbia e, mais recentemente, Síria.

O relatório apresenta dados estatísticos mas também pormenoriza casos chocantes de perseguição, como por exemplo o homem no Iémen que foi crucificado por ser cristão ou o rapaz de 17 anos no Egipto que, quando instado a tapar uma tatuagem de um crucifixo no pulso decidiu exibir o crucifixo que usava ao pescoço. Tanto o professor como os colegas começaram então a agredir o rapaz, que tentou esconder-se na casa de banho, mas acabou por ser morto.

O comunismo também é um factor a ter em conta na perseguição religiosa no mundo, sobretudo em países como a China, Vietname e Laos. Neste último país é sublinhado o caso de nove famílias expulsas da sua aldeia por forças governamentais, que mataram o seu gado e confiscaram os seus bens, por se recusarem a abandonar a sua fé.

O relatório completo está disponível no site da fundação.