Tempo
|

Nova evangelização deve centrar-se no encontro com Cristo

14 out, 2013 • Aura Miguel

Para o Papa, a Igreja e, por isso, cada cristão "deve sair ao encontro dos que não têm esperança, não pensam como nós ou vivem situações difíceis do ponto de vista humano, material ou existencial".

O Papa defendeu, esta segunda-feira, que o centro da nova evangelização deve ser o encontro com Cristo e com a sua misericórdia.

Numa intervenção feirta perante a assembleia plenária do Conselho Pontifício da Nova Evangelização, em Roma, Francisco mostrou-se ciente dos desafios colocados à Igreja nestes tempos marcados pela aparente irrelevância da fé, mas disse ser necessário centrar a mensagem da Igreja no essencial, que é o encontro com Cristo e com a sua misericórdia.

"A indiferença para com Deus e irrelevância da fé são marcas do nosso tempo", recordou. Assim, a nova evangelização deve despertar a vida da fé no coração e na inteligência do homem contemporâneo.

Francisco reconehce que a tarefa é complicada, porque o mais importante não são os discursos, mas sim o testemunho de vida. Num tempo em que tantos se afastam da Igreja, é urgente dar testemunho de fé e de caridade.

"A Igreja - e, por isso, cada cristão - deve sair ao encontro dos que não têm esperança, não pensam como nós ou vivem situações difíceis do ponto de vista humano, material ou existencial ou até mesmo dos que não têm fé", sublinhou o Papa apontando o caminho: dialogar com todos, sem medo e sem renunciar à nossa pertença, porque é fundamental estar concentrado no essencial.