Tempo
|

Bispo acusado de despesismo foi chamado a Roma

14 out, 2013 • Filipe d’Avillez

Franz-Peter Tebartz-van Elst está no centro de um escândalo por ter gasto 31 milhões de euros a construir uma residência particular, numa altura em que a catedral precisa de restauro.  

O bispo de Limburg está actualmente em Roma onde vai encontrar-se com o Papa Francisco e poderá ver o seu futuro decidido directamente por Francisco.

Franz-Peter Tebartz-van Elst está no centro de um escândalo sobre as suas despesas. Ao bispo, que já tinha sido acusado de viajar em primeira classe numa viagem para a Índia para estar com crianças pobres, aponta-se agora o facto de ter gasto 31 milhões de euros na construção de uma residência particular.

Ao longo das últimas semanas as notícias têm-se sucedido na imprensa alemã com os jornais a revelar detalhes embaraçosos para o bispo, tal como o facto de a sua banheira ter custado 15 mil euros e a terem sido gastos 783 mil euros para a construção dos jardins da residência.

Esta segunda-feira Tebartz-van Elst encontra-se em Roma precisamente com o Papa que mais tem falado sobre a necessidade da humildade, de evitar luxos e dos perigos da mundanidade para o clero.

Também em Roma, mas por outras razões, o actual presidente da Conferência Episcopal Alemã, o Cardeal Robert Zollitsch, diz que a Igreja alemã apenas quer esclarecer esta situação, mas não comentou sobre o eventual futuro do bispo de Limburg.

A situação de Franz-Peter Tebartz-van Elst é complexa também por causa da idade do bispo. Aos 53 anos, este não pode apenas pedir a resignação e reformar-se mais cedo. A sua situação na diocese parece insustentável e transferi-lo para outra também não parece ser opção.