Tempo
|

Padre ortodoxo crítico do regime assassinado em Moscovo

06 ago, 2013

As autoridades anunciaram a detenção de um suspeito, o qual terá gritado que o demónio o tinha mandado cometer o crime.

Um padre ortodoxo foi assassinado, na segunda-feira, em Moscovo. O corpo foi encontrado na sua igreja, em Pskov.

O padre Pavel Adelgeim era conhecido por, nos últimos anos, ter criticado muitas vezes, tanto o regime como a hierarquia da Igreja Ortodoxa. Essas críticas fizeram-se ouvir particularmente sobre a questão da banda punk “Pussy Riot”, cujos membros foram detidos e condenados a penas de prisão, por terem dado um concerto não autorizado na principal catedral de Moscovo. O sacerdote criticou as sentenças e defendeu as músicas que foram detidas.

Horas depois do homicídio, que foi cometido com uma arma branca que atingiu o coração da vítima, as autoridades anunciaram a detenção de um suspeito: um jovem, de 27 anos, munido de uma faca, que tentou matar-se, esfaqueando-se por duas vezes no peito quando estava a ser detido.

Segundo as autoridades o homem gritou que o demónio o tinha mandado cometer o crime.