Tempo
|

Oposição síria apela à libertação de padre italiano sequestrado

05 ago, 2013

Paolo Dall’Oglio desapareceu há mais de oito dias e suspeita-se que tenha sido sequestrado por membros de um grupo rebelde islamista com quem tinha ido negociar.

O principal grupo de oposição na Síria, a Coligação Nacional, apela à libertação imediata de Paolo Dall’Oglio, o padre italiano que se suspeita ter sido sequestrado na cidade de Raqa, há mais de uma semana.

A Coligação Nacional emitiu um comunicado em que expressa a sua “profunda preocupação com o desaparecimento do padre Paolo” e pede “quaisquer informações que possam identificar a sua localização e assegurar a sua segurança”.

“Pedimos a todas as partes envolvidas no desaparecimento do padre Paolo que o libertem imediatamente”, pode ler-se ainda. 

O sacerdote jesuíta conhece profundamente a Síria, onde viveu mais de 30 anos, até ser expulso pelo regime em 2012, por ter criticado o Governo de Bashar al-Assad. Desde então Dall’Oglio tem ido com frequência às zonas ocupadas pelos rebeldes, tendo contribuído para a libertação de vários sequestrados.

No dia 27 de Julho chegou a Raqa com o propósito de tentar negociar uma trégua entre um grupo islamista e a comunidade curda, após violentos confrontos entre esses dois grupos. Desde então não mais foi visto e teme-se que tenha sido sequestrado pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, um grupo islamista com ligações à Al-Qaeda.

Na passada sexta-feira, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um grupo sedeado em Londres e com ligações à oposição, vários populares de Raqa manifestaram-se diante da sede do Estado Islâmico do Iraque e do Levante exigindo a libertação do padre Paolo, afirmando que o italiano era um “convidado” naquela cidade.