Tempo
|

Uma fé mais forte que o frio e a chuva em Copacabana

25 jul, 2013 • Filipe d’Avillez

Um milhão de jovens cantou “esta é a juventude do Papa”, perante um Francisco sorridente que até mandou parar o papamóvel para poder beber uns goles de mate, uma bebida típica da argentina.  

Foi num ambiente de enorme festa que o Papa Francisco foi recebido por cerca de um milhão de jovens, esta noite, no recinto da Jornada Mundial da Juventude, em Copacabana.

O mau tempo não demoveu os jovens que por isso foram elogiados por Francisco: “Quero agradecer o testemunho de fé que estão a dar ao mundo. Sempre ouvi dizer que os cariocas não gostam do frio e da chuva, mas estão a mostrar que a vossa fé é mais forte que o frio e que a chuva. Parabéns. São verdadeiros guerreiros”.

Francisco chegou no Papamóvel, sorridente e a acenar à multidão, saudando mutos dos peregrinos, beijando bebés e parando a certo ponto para beber do que parecia, nas imagens, ser um copo de mate, uma bebida típica da argentina.

À medida que passava pelo recinto os jovens nunca pararam de cantar e de gritar, ouvindo-se diversas vezes o refrão: “Esta é a juventude do Papa”. Bandeiras de centenas incontáveis países e regiões do mundo eram visíveis entre os fiéis.

Quando chegou ao palco montado para o receber Francisco mostrou-se muito bem disposto e sorridente, dando crédito ao que viria a dizer no seu discurso, que tinha vindo não só para confirmar os jovens na fé, mas também, “para ser confirmado pelo entusiasmo” da sua fé.

Antes de falar, o Papa ouviu o Arcebispo do Rio de Janeiro a dar-lhe as boas vindas e a recordar, perante os jovens de mais de 180 países, que a praia e a zona de Copacabana têm esse nome em homenagem a Nossa Senhora de Copacabana, padroeira da Bolívia.

Francisco e o milhão de peregrinos presentes tiveram então a oportunidade de ver um filme sobre o Rio de Janeiro, apresentado em forma de percurso de fé.

A noite promete ainda ser de festa, mas o ponto alto terá mesmo sido o pequeno discurso do Papa, que começou precisamente por dizer: “vejo em vocês a beleza do rosto jovem de Cristo e o meu coração se enche de alegria”, antes de recordar a primeira Jornada Mundial da Juventude, que decorreu em Buenos Aires, cidade de onde Francisco foi chamado para conduzir a Igreja Universal.

Francisco não deixou de evocar o nome de Bento XVI, que convocou esta Jornada Mundial da Juventude, pedindo uma grande ovação para o Papa emérito. "Antes de vir para cá pedi-lhe para rezar pela Jornada e ele disse que seguiria tudo pela televisão, pelo que agora está a ver-nos", afirmou Francisco, perante renovados aplausos.

O Papa foi então saudado por um jovem representante de cada continente, cada um dos quais lhe ofereceu um presente e recebeu uma bênção, com alguns a mostrarem-se visivelmente emocionados.