Tempo
|

Crise política "não foi tempo perdido"

23 jul, 2013

D. Manuel Clemente considera que negociações entre os partidos foram uma oportunidade para os políticos ganharem balanço no caminho do diálogo.

As negociações do acordo de salvação nacional falharam mas não foram tempo perdido, afirma o Patriarca de Lisboa.

D. Manuel Clemente considera que foram uma oportunidade para os partidos e os políticos ganharem balanço no caminho do diálogo.

“A vida continua e a política também e eu acho que a semana passada teve como ganho que representantes de três partidos que representam grande parte do eleitorado português efectivamente encontraram-se, conversaram, ouviram e ouviram muitas horas. Isto não acaba desta maneira, a política continua e que esse balanço agora se acentue, porque precisamos de nos entender. Não foi tempo perdido, acho que ganharam balanço.”

D. Manuel Clemente falava à margem da apresentação do livro “Uma casa aberta a todos”, obra que reúne várias entrevistas ao Patriarca de Lisboa, conduzidas ao longo de anos pelo jornalista Paulo Rocha.

Um livro que D. Manuel Clemente agradece não lhe ter sido apresentado antes de editado, porque, com o seu sentido crítico, o mais certo seria ter ficado reduzido a muito pouco.