Tempo
|

Atentado faz 20 mortos em mesquita sunita no Iraque

19 jul, 2013

A maioria dos ataques tendem a ser levados a cabo por sunitas contra xiitas e, por vezes, membros de religiões minoritárias, como os cristãos. Mas neste caso foi a comunidade sunita a ser atacada.

Um atentado fez esta sexta-feira pelo menos 20 mortos numa mesquita em Diyala, no Iraque.

O bombista suicida fez-se explodir durante a homilia do imã, com a mesquita cheia de fiéis. Sexta-feira é o dia santo do Islão, quando as mesquitas se encontram mais repletas.

Este foi o mais recente de uma série de atentados que tem abalado o Iraque ao longo dos últimos meses, fazendo recordar os piores momentos dos anos 2006 e 2007 quando o conflito entre diferentes etnias e religiões chegou a atingir dimensões de guerra civil.

A maioria dos ataques tendem a ser levados a cabo por sunitas contra xiitas e, por vezes, membros de religiões minoritárias, como os cristãos. Mas neste caso foi a comunidade sunita a ser atacada.

É possível que o ataque tenha sido levado a cabo por xiitas, mas isso ainda não é claro. Segundo um deputado originário de Diyala, os culpados também podem ser outros sunitas: “O objectivo é aumentar a divisão entre as pessoas e fazer regressar o Iraque a um conflito civil”, explica Mohammed Othman.

Diyala é considerado um microcosmo do país, sendo um local onde convivem sunitas, xiitas, árabes e curdos.

Os sunitas são minoritários no Iraque mas dominavam as estruturas do poder até à queda do regime de Saddam Hussein. Com a chegada da democracia os xiitas passaram para cima e surgiram muitos grupos sunitas armados que lutam contra essa situação.

A situação tinha acalmado nos últimos anos, mas a guerra civil na Síria, que assume contornos cada vez mais sectários, reacendeu as rivalidades étnicas e religiosas na região.