Tempo
|

Reconhecidas “virtudes heróicas” de freira portuguesa

05 jul, 2013

Fundadora das Concepcionistas poderá ser beatificada caso se verifique a existência de um milagre atribuído à sua intercessão.

O Vaticano reconheceu esta sexta-feira as “virtudes heróicas” da portuguesa Maria Isabel Picão Caldeira Carneiro.

A fundadora da Congregação das Concepcionistas de Santa Beatriz da Silva ao Serviço dos Pobres, uma ordem que ainda existe, encontra-se assim em situação de poder vir a ser beatificada, caso seja reconhecida a existência de um milagre por sua intercessão.

A Madre Isabel, como é conhecida, nasceu em 1889, em Elvas. Fundou a ordem das Concepcionistas em 1939, tendo esta sido reconhecida oficialmente pela diocese em Dezembro do mesmo ano e em 1955 pelo Papa Pio XII.

Antes de ingressar na vida religiosa Maria Isabel frequentou as Belas Artes e viria a casar com um lavrador alentejano. Dez anos depois enviuvou sem filhos e dedicou o resto da vida a evangelizar – primeiro no Alentejo, alargando depois a sua acção pastoral pelo resto do país, fundando então a nova ordem.

Na sua morte, em Julho de 1962, já existiam 12 comunidades diferentes, que trabalhavam activamente ao serviço dos mais pobres.

Actualmente a ordem está presente em Portugal, Itália, Moçambique, México e Timor, “anunciando a Boa Nova aos Pobres, e sendo para cada um uma presença maternal de Maria”, segundo a explicação dada pela própria ordem.