Tempo
|

Perseguição religiosa aumentou depois da Primavera Árabe

21 jun, 2013

A proporção de países com restrições altas ou severas à liberdade religiosa aumentou de 37% para 40% até ao fim de 2011.

Um estudo da Pew Research Center, um centro de estatísticas e sondagens especializado em assuntos religiosos, comprova que a perseguição e a violência inter-religiosa aumentaram no Médio Oriente depois da Primavera Árabe.

Os analistas do instituto, sedeado nos Estados Unidos, revelam que o número de países da região onde se registam casos de violência entre diferentes confissões duplicou de cinco para 10. Em muitos casos a violência é entre xiitas e sunitas, dois ramos do Islão, mas onde há cristãos e membros de outras minorias religiosas estes são mais duramente perseguidos.

A nível global a situação também não melhorou. Segundo a Pew Research Center a proporção de países com restrições altas ou severas à liberdade religiosa aumentou de 37% para 40% até ao fim de 2011, ano em que tiveram início as principais revoltas que viriam a ser conhecidas como a Primavera Árabe.

A subida pode parecer insignificante mas tendo em conta a população de alguns desses países a proporção de cidadãos do mundo que vive em locais com risco de conflito religioso é de 74%, ou 5,1 mil milhões de pessoas.