Tempo
|

Papa diz que “bons bispos são aqueles que não ambicionam sê-lo”

21 jun, 2013

Francisco encontrou-se esta sexta-feira, em Roma, com 108 núncios apostólicos, os representantes diplomáticos da Santa Sé, de todo o mundo.

Um bom candidato a bispo é precisamente alguém que não se esforça por chegar a essa posição, considera o Papa Francisco.

Numa audiência com 108 núncios apostólicos de todo o mundo, incluindo Monsenhor Rino Passigato, o representante diplomático da Santa Sé em Portugal, o Papa voltou a criticar o carreirismo na Igreja, como já fez em diversas ocasiões.

Francisco explicou que um bispo tem a Igreja por esposa e não anda constantemente à procura de outra. Por isso, descreveu um bom candidato a bispo como sendo “manso, paciente, próximo das pessoas” e desprovido de qualquer “psicologia de príncipe”.

Os núncios apostólicos, embaixadores da Santa Sé nos países com os quais existem relações diplomáticas, desempenham um papel importante na nomeação de bispos. Parte do seu trabalho consiste em enviar para Roma informação sobre padres que tenham perfil para assumir o cargo episcopal. Quando abre uma vaga numa diocese, cabe ainda aos núncios recolher opiniões e elaborar uma lista que tradicionalmente tem três nomes, a que se chama uma terna, que é enviada para Roma, para a Congregação dos Bispos.

Caso a terna seja aprovada ela será apresentada ao Papa, normalmente com um nome já indicado. A decisão final cabe sempre ao Santo Padre que pode escolher qualquer pessoa para o cargo, incluindo alguém fora da terna.

Aos 108 núncios reunidos em Roma o Papa disse ainda que tinha mais para dizer sobre padres que se esforçam para atingir cargos episcopais, mas que esperaria por outra ocasião em que não estivesse a ser gravado.