Tempo
|

D. Manuel Clemente

CEP "não é um organismo de cúpula nem superior às dioceses"

19 jun, 2013

Patriarca eleito de Lisboa foi escolhido para substituir D. José Policarpo na presidência da Conferência Episcopal Portuguesa.

D. Manuel Clemente é o novo presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, mas diz que a CEP não é um organismo de cúpula, nem se sobrepõe às dioceses.

“A Igreja em Portugal vive essencialmente nas 20 dioceses portuguesas. A ConferÊncia Episcopal é um órgão de apoio ao trabalho que se faz nas dioceses e sob a responsabilidade dos respectivos Bispos. A Conferência não é um organismo de cúpula nem superior às dioceses, é um organismo que as dioceses em Portugal se dão para apoio a iniciativas conjuntas e para apoio daquilo que é o trabalho habitual, que nessas mesmas 20 dioceses se realiza. Depois, a Conferência tem comissões episcopais mas é sempre neste sentido de apoiar o trabalho nas dioceses ”, disse.

O novo presidente da CEP afirma ainda encarar com simplicidade a dupla responsabilidade que agora assume. “Ser Bispo do Porto já era uma coisa complicada ou ser Bispo de qualquer diocese em Portugal. Quando nós já estamos habituados a ter grandes responsabilidades em cima de nós, já estamos num plano em que essas coisas se vão levando com uma certa naturalidade porque cada um de nós pode o que pode – e no meu caso não posso muito – mas são coisas que têm que ser providas e já que os outros nos incumbem disto vamos para a frente com a naturalidade possível. É com esse espírito”, acrescenta.

A escolha do Patriarca eleito de Lisboa para a liderança da CEP foi formalizada em Fátima às 18h30 desta quarta-feira. Os bispos estiveram reunidos em assembleia plenária extraordinária para decidir quem seria o sucessor de D. José Policarpo, que está a poucos dias de se despedir da diocese de Lisboa e que era o presidente da CEP em exercício.