Tempo
|

Reino Unido

Câmara dos Lordes aprova casamento entre homossexuais

05 jun, 2013 • Filipe d’Avillez

Dos 14 bispos anglicanos que marcaram presença na sessão, nove votaram contra e cinco abstiveram-se, revelando divisão entre a hierarquia da Igreja oficial de Inglaterra.  

A Câmara dos Lordes deu luz verde à proposta de lei que aprova o casamento entre pessoas do mesmo sexo, deixando o caminho aberto para que se torne legal em Inglaterra e no País de Gales.

Na votação, realizada terça-feira, uma maioria significativa de 390 lordes manifestou-se favorável à lei. Por outro lado, 148 defenderam que se mantivesse inalterada a definição de casamento.

Dos representantes da Igreja Anglicana, 14 bispos marcaram presença na sessão, um número bastante maior do que é hábito. Embora todos os bispos anglicanos tenham direito a votar na câmara alta do parlamento britânico, habitualmente apenas dois marcam presença nas sessões normais e seis, no máximo, nas sessões mais importantes.

Contudo, na votação de terça-feira ficou claro que, apesar de o Arcebispo de Cantuária e de outras figuras importantes da hierarquia se terem manifestado contra o casamento entre homossexuais, existem fortes divisões entre os bispos. Nove votaram contra a lei, com os restantes cinco a absterem-se - os bispos de Derby, Guildford, Leicester, Norwich e de St. Edmundsbury.

Antes do início da discussão, o "Telegraph" falava na existência de pressões sobre os bispos para que não comparecessem na sessão ou não votassem contra a medida. As pressões viriam, alegadamente, do Governo, mas também do interior da Igreja, com alguns membros da burocracia anglicana a temer que, se o projecto fosse chumbado por causa dos votos dos bispos, a Igreja sofresse repercussões.

Os receios revelaram-se infundados, uma vez que uma grande maioria dos lordes mostrou-se favorável à alteração da definição de casamento.